top of page
  • Foto do escritorPref. de Piripiri

SEDUC reúne autoridades de Segurança para orientar vigilantes da Rede Municipal de Ensino

A Prefeitura de Piripiri, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SEDUC), realizou, no último sábado (15/04), uma reunião com várias autoridades da área de Segurança Pública para discutir formas de prevenção à violência nas escolas. O encontro aconteceu no Teatro João Cláudio Moreno no Memorial Espedito Resende, zona Sul da cidade, e teve a presença de vigias da Rede Municipal de Ensino.

Também estiveram no encontro, representantes da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Exército Brasileiro. A programação constou de palestra com o psicólogo Marcos Vinícius tratando do tema “Violência nas Escolas”.


A prefeita de Piripiri, Jôve Oliveira Monteiro, disse que não será baixada a guarda diante do problema que está afetando o país. “Além de orientação e formação aos nossos vigias da Rede, estamos em um trabalho de prevenção diante das fake news de que as escolas seriam atacadas, nós avançamos em entendimento com as forças de segurança”, garantiu a gestora.



“Vamos tirar as sugestões deste encontro do papel. Temos a garantia da patrulha nas escolas que já começou a ser feita pela PM na cidade e interior. Também contamos com o TG 10-021 e da PRF que deverá ministrar um curso, em breve, de defesa pessoal para os vigilantes” informou a prefeita Jôve Oliveira Monteiro.



A secretária de Educação, professora Tânia Marilda Monteiro, disse que as instituições de segurança estão ajudando a SEDUC na “construção de um plano de ação que é um pacto pela educação pública com segurança nos nossos ambientes escolares”.


O capitão PM Raphael do 12° BPM Piripiri disse que a Polícia Militar tem agido no sentido de prevenir fatos, como os que criaram pânico no país. “A nossa diferença no âmbito da segurança pública é porque é um dever nosso, mas a responsabilidade é de todo mundo”, explicou.


O chefe de instrução do TG10-021, 1º sargento Afonso Júnior, lembra que a “população está comprometida com o bem maior que é a segurança”, disse.


“É um momento bem massificante de informações, mas como muita desinformação. E quando se tem um momento como esse com os vigias e o corpo [diretivo] das escolas se pensa em estratégias de prevenção para evitar o efeito contágio”, observa o psicólogo Marcos Vinícius acrescentando que esse “efeito contágio traz prejuízos de ordem psicológica, física e financeira”.


O vigilante Raimundo Gomes da escola municipal Circulo Operário, Centro da cidade, disse que a “iniciativa é louvável e isso vem nos dar uma segurança a mais”.


“É importante para a gente ficar mais atento as coisas que vem acontecendo aí e a gente observar para não acontecer na nossa escola”, relatou José Francisco da Creche Municipal Sinhara Castro, bairro Germano, zona Oeste de Piripiri.



Comments


bottom of page