• Pref. de Piripiri

Prefeita Jôve Oliveira Monteiro prestigia 1ª Edição do Cultura Negra Piripiri


Na segunda (15/11), no Dia Nacional da Umbanda, a Associação dos Terreiros de Umbanda de Piripiri (ATUPI), com apoio da Prefeitura de Piripiri, celebrou os 113 anos da Umbanda no Brasil. A comemoração, que é parte da programação da 1ª Edição do Cultura Negra Piripiri com o tema "Unidos Pela História e Pela Cultura", atraiu centenas de umbandistas de 17 terreiros do município.


A festa realizada na quadra da escola José da Narciso da Rocha Filho, centro da cidade, integra a programação da 1ª Edição do Cultura Negra Piripiri, iniciada dia 14/11 e que se estendera até o dia 20 deste mês, com várias atividades como: feira de produtos religiosos, oficinas e cursos, palestras e rodas de conversa voltadas para a valorização da cultura afro brasileira.


“É importante mantermos o respeito para com todas as religiões e abraçar os movimentos quilombolas do nosso município. E dizer que uma cidade tem que ser plural e respeitar a todos. Não podemos fechar os olhos para centenas de piripirienses que têm na Umbanda a sua fé e as tem como sua religião”, destaca a prefeita Jôve Oliveira Monteiro, presente no evento.


O presidente da ATUPI, Elan de Oxum, lembra a 1ª Edição do Cultura Negra de Piripiri quer promover a igualdade e inclusão social dos povos de matriz africanas. “Estamos aqui com povos de terreiros, povos de matrizes africanas para festejar o dia da Umbanda em Piripiri de forma diferente”, frisa o líder religioso.


O deputado federal Átila Lira (PSB) afirmou que a construção de Piripiri foi feita por mãos escravas. “Quando o padre Domingos Freitas e Silva fundou a cidade, ele construiu com ajuda dos escravos. E, hoje, nós estamos exatamente resgatando e reconhecendo os valores dos afrodescendentes e dos povos quilombolas”, pontua o parlamentar.


Alexandre Madry, um dos organizadores do evento, disse que a 1ª Edição do Cultura Negra Piripiri mostra a força da Umbanda em Piripiri. “São 17 terreiros em Piripiri e essa festa resgatou essa força, um evento importante que mostra o valor desse povo”, finaliza.