top of page
  • Foto do escritorPref. de Piripiri

Auditoria da SESAPI avalia instalações para início de operação do Instituto do Rim de Piripiri

O serviço de auditoria da Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI) esteve em Piripiri, nesta terça-feira (09/05), para fazer auditoria e fiscalização no Instituto do Rim de Piripiri. O prédio já está pronto e aguarda a liberação do Ministério da Saúde (MS) para começar o serviço de hemodiálise. O Instituto tem parceria com a Prefeitura Municipal de Piripiri.


“Estamos dando todo o suporte que está ao nosso alcance pela Prefeitura de Piripiri e também requisitando suporte ao Governo do Estado, por meio da SESAPI, e também lutando junto aos amigos empresários para que essa clínica, logo, seja aberta para facilitar a vida dos piripirienses e de toda a população da região dos Cocais”, disse a prefeita Jôve Oliveira Monteiro.


A gestora lembra que essa luta começou há muitos anos, desde quando ainda atuava como radialista e defendeu a abertura do Instituto do Rim de Piripiri. “Estou muito feliz com as etapas já vencidas para a inauguração do Instituto. É uma luta antiga de alguns médicos sócios da clínica. E aqui eu destaco o Dr. Rubens Nery, que sempre dialogava comigo antes de eu estar na Prefeitura”, destacou a prefeita Jôve Oliveira Monteiro.



“Estamos aqui com o pessoal da SESAPI para dar o aval para o funcionamento do Instituto do Rim de Piripiri. São parceiros desse serviço, a SESAM, Ministério da Saúde e SESAPI. Vamos atender além de Piripiri, pacientes da região norte e seus municípios”, disse Beatrice Pimentel, secretária de Saúde de Piripiri.



Rubens Nery, médico e sócio proprietário do Instituto, falou sobre esse dia tão especial. “Nós estamos trabalhando com essa clínica de hemodiálise que demorou muito e tem gente contra; mas, felizmente, encontramos uma prefeita consciente como Jôve Oliveira Monteiro que teve sensibilidade e nos ajudou a resolver toda essa questão burocrática. Quero agradecer a prefeita por tudo isso e, brevemente vamos inaugurar nossa clínica. Podemos dizer que é uma das melhores da região Norte e Nordeste”, afirmou.


“A gente faz essa vistoria para liberar o serviço e estamos vendo os ajustes finais. Encaminhamos para o Ministério da Saúde para a liberação. Não temos como dar previsão para o funcionamento, mas se tudo estiver certo, o Ministério reduz o prazo para funcionamento”, disse Elizabeth Monteiro, gerente de auditoria da SESAPI.



Comentarios


bottom of page